quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Compartilhamento de Informação - ECD e as publicações sobre Investigação em Alta Resolução (HRSC)

Como temos observado nos últimos meses um crescente interesse do mercado de Gerenciamento de Áreas Contaminadas em direção ao tema Investigação Geoambiental em Alta Resolução, nós da ECD Sondagens Ambientais, especializados na execução de trabalhos de campo voltados à alta resolução, pioneiros a publicar sobre o tema no Brasil, disponibilizamos um canal no slideshare que será constantemente atualizado para suprir a demanda pelo conhecimento importantíssimo que irá mudar o cenário do Gerenciamento de Áreas Contaminadas por aqui.

Abaixo dois artigos interessantes discutindo algumas dúvidas frequentes que temos ouvido a respeito do tema Investigação Geoambiental em Alta Resolução (HRSC), escritos pelo Diretor Técnico da ECD, Marcos Tanaka Riyis para a Revista Pollution Engineering Brazil em Março e Junho deste ano.






Novo Artigo na Revista Pollution Engineering Brazil

Mais um artigo importantíssimo sobre Investigação de Alta Resolução (HRSC), de nosso diretor técnico Marcos Tanaka Riyis para a Revista Pollution Engineering Brazil de Outubro 2013.

Artigo na íntegra:





sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

ECD apresenta trabalho sobre Investigação de Alta Resolução no 14o CBGE

Marcos Tanaka Riyis, Diretor Técnico da ECD Sondagens Ambientais Ltda, apresentou, no último dia 03/12/2013, um trabalho sobre Investigação Geoambiental de Alta Resolução (HRSC), pela 2a vez esse ano. A primeira foi no NGWA Summit, em San Antonio-TX.
O trabalho atual foi um dos 9 selecionados para apresentação oral, dentre os muitos inscritos para o IV RESID - Simpósio de Resíduos e Áreas Contaminadas, que ocorreu dentro do 14o Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental - CBGE. Além desse, outro trabalho da ECD foi selecionado como poster e foi, também, apresentado.
O trabalho, de autoria de Marcos Tanaka Riyis, teve como co-autores, o Prof Dr Heraldo Luiz Giacheti da FEB/UNESP, o Engenheiro Rafael Muraro Derrite e o Diretor  Mauro Tanaka Riyis, ambos da ECD Sondagens Ambientais, e o título: "INVESTIGAÇÃO GEOAMBIENTAL DE ÁREAS CONTAMINADAS COM ELABORAÇÃO DO MODELO CONCEITUAL EM CAMPO UTILIZANDO FERRAMENTAS DE ALTA RESOLUÇÃO (HRSC)".
Dando continuidade ao que nos propusemos no início desse ano de 2013, a ECD continua compartilhando seu conhecimento, produzindo artigos técnicos e científicos para contribuir com um aumento na qualidade das investigações geoambientais no Brasil, e consequentemente, com as remediações de áreas contaminads que, infelizmente, ainda apresentam um grande índice de falhas decorrentes de um processo de investigação mal conduzido.
Essa foi uma oportunidade particularmente interessante, pois, além de ser um importante evento nacional, pudemos nos confrontar com pessoas de diferentes formações e áreas de trabalho que, cada vez mais, estão olhando para a problemática das áreas contaminadas com interesse.
Outro ponto muito interessante do evento foi poder encontrar e trocar ideias, ainda que rapidamente, com amigos, clientes e parceiros, como Antonio Marcelo e Kenichi, da Arcadis Logos, Paulo Negrão, da Clean Environmental Brasil e Nilton Miyashiro, da Engesolos. Todos esses compartilham da mesma visão que temos na ECD: a investigação precisa mudar o seu paradigma para que tenha a qualidade necessária. As ferramentas tradicionais, sozinhas, não conseguem responder à maioria das questões ambientais, em especial às heterogeneidades do meio físico.
Para nós, da ECD, compartilhar a mesma visão e os mesmos conceitos das empresas que são referências de qualidade em seus respectivos nichos (Arcadis nas consultorias; Clean no fornecimento de equipamentos; Engesolos na prestação de serviços de coleta de dados) é uma honra. Talvez nessas conversas tenha brotado um embrião de uma proposta coletiva de melhora nas investigações. Aguardem maiores detalhes em 2014.
Em breve a ABGE disponibilizará a apresentação em seu site. Caso não o faça, a ECD promete compartilhar esse material, pois achamos ser nosso papel contribuir para o crescimento do mercado.
Abaixo algumas fotos

Nilton Miyashiro, da Engesolos, e Marcos Tanaka Riyis, da ECD 

Almoçando com os amigos da Arcadis 

Durante a apresentação oral do trabalho 

Marcos Tanaka Riyis, da ECD, Nilton Miyashiro, da Engesolos, e Paulo Negrão, da Clean

 Respondendo aos questionamentos durante a apresentação
Sede do CBGE, o IG da UFRJ 

Painel da ECD colocado

Programação das apresentações orais


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

ECD Realiza Mais uma Investigação Geoambiental de Alta Resolução - Parte 1

A ECD realizou em setembro, mais uma investigação geoambiental de alta resolução com tomada de decisão em campo. 

As premissas do trabalho foram as seguintes:

- O vendedor da área fez um trabalho correto do ponto de vista do Gerenciamento de Áreas Contaminadas. Iniciou em 2002 (Tanques abastecimento), Investigação Confirmatória, Investigação Detalhada, fase livre, remediação, monitoramento. No 3º monitoramento para encerramnto, constatou “rebound”. A Consultoria dele propôs nova Detalhada, com mais poços, o Responsável legal deu OK nessa nova Detalhada.
- O comprador não está satisfeito com o trabalho, pois achou pouco conclusivo, embora correto. Resolveu fazer uma investigação de alta resolução para estabelecer o Modelo Conceitual, delimitar pluma retida, achar a fonte, instalar poços em camadas mais condutivas, elaborar um modelo de fluxo de massa.
- O comprador queria mais que uma investigação detalhada, ele uma investigação em alta resolução com tomada de decisão em campo para que a tomada de decisão fosse feita com embasamento suficiente. Para isso, ele precisava, entre outras coisas, de equipamentos adequados. A ECD sugeriu o uso do RCPTu e da Power Probe 9100-ATV. O primeiro equipamento iria determinar as zonas de fluxo e armazenamento para posterior screen de concentrações, após uma caracterização bem detalhada do meio físico; A Power Probe seria usada para amostragem de solo, amostragem de água Direct Push e slug test pontual.
- Como todos sabem, a ECD não realiza trabalhos de consultoria. Para realizar esse serviço, foi escolhida uma empresa com afinidade de ideias com a ECD no sentido de: prioridade no diagnóstico; tomada de decisão em campo; utilização das melhores técnicas e ferramentas; detalhamento do meio físico antes de avaliar concentrações; atenção total na etapa de coleta de dados. A consultoria escolhida para esse projeto foi a Fullgeo

Em breve, mais informações. Por enquanto, algumas fotos dos trabalhos de campo

Toda equipe e equipamentos posicionados para coleta de dados

Dados em alta resolução e tempo real para tomada de decisão em campo

Power Probe fazendo amostragem de solo Direct Push - Dual Tube

Log do ensaio RCPTu

Sonda ECD-TR-01 posicionada para ensaio RCPTu

Perfil heterogêneo - um desafio

Power Probe 9100-ATV










terça-feira, 20 de agosto de 2013

ECD participa de Investigação Geoambiental de Alta Resolução - HRSC

Esse trabalho, seguindo uma tendência que aparenta ser cada vez mais forte nos trabalhos de investigação geoambiental de áreas contaminadas no Brasil, foi solicitado por um consultor/pesquisador com o intuito de conhecer em detalhes o meio físico de um aterro em valas no interior de São Paulo e identificar claramente as zonas mais vulneráveis, direcionando a investigação tradicional nesses pontos.
Já publicamos alguns textos, notícias e artigos sobre as vantagens da investigação de alta resolução sobre o modelo tradicional, por isso, diversos profissionais e consultorias têm nos procurado para a realização desse tipo específico de investigação dentro do gerenciamento de áreas contaminadas. Pode-se considerar um "detalhamento da investigação detalhada".
ECD mobilizou dois equipamentos para trabalhar simultaneamente na área: a Sonda sobre Trator ECD-TR-01, para realizar os ensaios RCPTu e ensaios de dissipação de poro pressão e a Power Probe 9100-ATV, para realizar as amostragens de solo Direct Push e os slug tests pontuais.

ECD realizando coleta de dados em alta resolução: Abordagem semelhante ao TRIAD Approach

ECD realizando coleta de dados em alta resolução: Abordagem semelhante ao TRIAD Approach

Em um primeiro momento, coletou-se amostras de solo Direct Push de todo o perfil pela metodologia Dual Tube, para descrição tátil-visual e para "calibrar" os resultados dos ensaios RCPTu. Percebeu-se que o perfil era predominantemente argiloso, com alterações de rocha (argilito) em profundidades variáveis.

Amostragem de Solo Direct Push

Enquanto isso, eram realizados ensaios RCPTu, em pontos coincidentes com as amostragens RCPTu e em pontos diferentes, pois, a intenção era fazer o maior número possível de ensaios para a caracterização em alta resolução da área, determinando as zonas preferenciais de fluxo e armazenamento e elaborando o mapa de condutividades hidráulicas. Os ensaios mostraram que a argila, embora parecesse homogênea, tinha muitas heterogeneidades associadas, e havia claramente uma zona preferencial de fluxo. Durante os ensaios RCPTu foram feitos diversos ensaios de dissipação de poro pressão no mesmo ponto, de modo a conseguir estabelecer a condutividade hidráulica quantitativa em vários pontos do perfil. Percebeu-se que esse parâmetro variava até 4 ordens de grandeza no perfil.


Ensaio RCPTu (piezocone de resistividade)

Resultado de ensaio RCPTu online permitindo tomada de decisão em campo

Ensaio RCPTu (piezocone de resistividade) - Investigação de Alta Resolução

Com esses resultados, ainda em campo, percebeu-se duas situações de anomalias nos ensaios RCPTu/dissipação de poro pressão: um pico de condutividade elétrica entre 4-6 metros (variando com a localização) e um valor extremamente baixo de poro pressão entre 8-10 metros.
Foi, então, tomada a decisão de detalhar esses pontos, então, nos pontos de valor baixo de poro pressão, foram realizados Slug Tests pontuais, cravando-se as hastes e ponteira descartável e obtendo-se os dados com transdutor de pressão.
Os Slugs mostraram que a condutividade hidráulica, nesses pontos, era significativamente maior que no restante do perfil, o que evidencia ser essa uma zona preferencial de fluxo.
Os slug tests foram realizados também em alguns pontos que se realizou os ensaios de dissipação de poro pressão, para que se possa fazer uma validação dos métodos.

Ponteira especial - Slug Test pontual via Direct Push

Screen especial para Slug Test via Direct Push - seção de 20 cm a 1,50 m

Transdutor de pressão para Slug Test pontual via Direct Push

A última etapa, após a realização dessa investigação de alta definição pra estabelecer um modelo conceitual hidrogeológico com poucas incertezas, foi posicionar tridimensionalmente as seções filtrantes dos poços de monitoramento. 
Os poços instalados realmente são representativos dos aquíferos mais importantes detectados pela investigação de alta resolução, e o resultado das análises nesses pontos será a base para uma tomada de decisão confortável a respeito de uma eventual contaminação.

A ECD novamente comprova que uma investigação geoambiental de alta resolução consegue mapear as heterogeneidades do meio físico e, com isso, elaborar um modelo conceitual adequado. O enfoque deve ser nesse mapeamento de alta resolução da geologia/hidrogeologia, pois esse é o fator de maior incerteza do estudo, e não no eventual composto químico de interesse.
Outro ponto que vale destacar é a importância de ter um profissional em campo que tenha conhecimento e autonomia suficientes para realizar a tomada de decisão, para que o trabalho seja mais eficaz.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

ECD Compartilhando Conhecimento



O artigo abaixo, descreve a nossa participação nos 3 eventos mais importantes ligados à Investigação Geoambiental de Áreas Contaminadas ocorridos no 1º semestre de 2013.

Boa leitura!
 

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Nova publicação na Revista Pollution Engineering pelo colunista Marcos Tanaka Riyis

Saiu a nova revista Pollution Engineering Edição Abril a Junho de 2013, com um excelente artigo escrito pelo Diretor Técnico da ECD - Marcos Tanaka Riyis sobre Investigação de Alta Resolução Para Áreas contaminadas.

Abaixo o artigo na íntegra para os leitores do blog. Para a revista em formato digital, clique aqui.




 

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

ECD auxiliando no curso de amostragem de solo da CETESB

No mês de junho/2013, a ECD Sondagens Ambientais Ltda. completou seu Hat-Trick, junto com a participação no Curso de Pós-Graduação em Gerenciamento de Áreas Contaminadas do SENAC e no Curso de Extensão em Investigação Geoambiental da Unicamp, e auxiliou no Curso de Técnicas de Investigação de Áreas Contaminadas - Parte 1: Solo - da CETESB, coordenado pelo professor Vicente Aquino Neto no dia 20/06/2013.
A participação da ECD consistiu em emprestar as ferramentas de amostragem de solo Direct Push - modalidades Dual Tube e Piston Sampler e ajudar na execução dessas 2 modalidades de amostragem de solo fundamentais para o estudo de áreas contaminadas. A cravação foi efetuada com a sonda Power Probe modelo 9500 (fabricada pela AMS, mesma fabricante da Sonda da ECD, a Power Probe 9100-ATV) de propriedade da CETESB.
O ferramental da ECD, por ser mais novo que o da CETESB, tem mais recursos, especialmente para a recuperação das amostras dentro do liner, que permitiu efetuar com sucesso a amostragem de um solo arenoso saturado em uma profundidade de 9,60-10,80, abaixo de uma camada de aterro (antropossolo adicionado) tipicamente presente na área do Parque Villa-Lobos, local da aula prática.
A modalidade Piston Sampler com o uso dos core catchers é a única forma de se obter amostras de solo representativas da profundidade desejada, e foi isso que ocorreu na demonstração.
É motivo de muito orgulho para a ECD poder participar dos 3 eventos mais importantes do 1o semestre de 2013 no que se refere à capacitação de profissionais para coleta de dados em estudos de áreas contaminadas. Mais uma vez indicando que a ECD pretende manter-se como referência em investigação geoambiental de áreas contaminadas.


Alunos, instrutor, sonda da CETESB e encarregado da ECD 

 Detalhe da Sonda da CETESB com o ferramental da ECD

Sonda e operadores da CETESB e encarregado da ECD 

Descrição do perfil de solo coletado com a Power Probe da CETESB e ferramental Piston Sampler da ECD 

Detalhe do ferramental da ECD preparado para utilização 

Detalhe do ferramental da ECD preparado para utilização 

Aula em andamento 

Perfil do solo (antropossolo adicionado)

segunda-feira, 1 de julho de 2013

ECD ministra Aula Prática no SENAC para o Curso de Pós-Graduação em Gerenciamento de Áreas Contaminadas

No último dia 22/06/2013, a ECD Sondagens Ambientais foi a responsável por ministrar uma aula prática da disciplina Técnicas de Investigação do Curso de Pós-Graduação em Gerenciamento de Áreas Contaminadas do SENAC. O curso é coordenado pelo professor Rodrigo Cunha e a disciplina é ministrada pelo professor Vicente de Aquino Neto, que convidaram a ECD para realizar essa aula-demonstração.
O objetivo principal da aula era mostrar para os alunos algumas ferramentas de campo para a coleta de dados que irão subsidiar as tomadas de decisão e a elaboração do modelo conceitual da área de estudo.
Dentro do portfólio da ECD, optou-se por realizar a demonstração de amostragem de solo Direct Push pelas metodologias Dual Tube e Piston Sampler, conduzidas pela Power Probe 9100-ATV, fabricada pela AMS, sondagem com trados ocos helicoidais conduzida pela sonda montada sobre Trator ECD-TR-01, para a instalação de um poço de monitoramento convencional e um ensaio de piezocone de resistividade (RCPTu), conduzido também pela ECD-TR-01.
A aula teve início um pouco depois das 9:00 hs, com a chegada dos alunos ao campo de provas do SENAC. As equipes da ECD já estavam posicionadas e com os equipamentos a postos para a demostração.
A primeira atividade foi a amostragem de solo Direct Push pela metodologia Dual Tube, que tem a vantagem, sobre a metodologia tradicional utilizada no Brasil, a Single Tube (furo aberto), de revestir o furo de sondagem, impedindo que ocorra o desmoronamento das paredes do furo, que causa interferência ou contaminação das amostras de solo das profundidades maiores. Com o Dual Tube, o trabalho é rápido e o furo permanece revestido. Foram coletadas, com a Power Probe 9100 ATV, duas amostras (0-1,20 m e 1,20-2,40 m), com excelente recuperação no liner, graças à ferramenta especial fabricada pela AMS, os core catchers, que auxiliam na recuperação de amostras de material com pouca coesão (areia, por exemplo). Na tentativa de recolocar o tubo interno do amostrador na profundidade de 2,40 m, percebeu-se que havia entrado material arenoso saturado (nível de água em cerca de 1,0 m) por baixo do revestimento, o que inviabilizaria a coleta de amostras representativas pelo método Dual Tube. Optou-se, então, por preparar o ferramental apropriado para essa situação, o amostrador fechado de Pistão (Piston Sampler). Enquanto essa preparação era feita, os alunos deslocaram-se para a outra máquina (ECD-TR-01) para assistir à instalação do poço de monitoramento.
A segunda atividade foi observar o final de uma sondagem com trados ocos e a instalação de um poço de monitoramento convencional de acordo com a norma NBR 15.495-1. Na explanação teórica, foram abordadas algumas das premissas básicas da NBR 15.495-1 e 15.495-2, que são:
- a instalação do poço deve ser precedida de um modelo conceitual hidrogeológico, onde as diferentes camadas devem ser devidamente identificadas e um mapa potenciométrico deve ser elaborado. Observou-se que essas atividades (sondagens exploratórias e instalação de piezômetros) eram efetivamente realizadas na década de 90, mas esse hábito se perdeu, provavelmente devido à pressão do mercado. Desta forma, pode-se concluir que raramente um poço de monitoramento é instalado de acordo com a norma brasileira 15.495-1.
- como a instalação dos poços deve ser precedida por sondagens para, no mínimo, descrever a litologia, deve-se levar a campo um kit de pré-filtro/tubo-filtro adequado à formação onde será posicionada a seção filtrante do poço de monitoramento. Os kits, no entanto, ficam limitados ao material atualmente disponível: tubo-filtro de ranhura 0,25 mm, 0,50 mm ou 0,75 mm, recomendados para: silte a areia fina, areia fina a média, areia grossa, respectivamente. 
- deve-se medir a posição do pré-filtro acima do tubo-filtro para que fique a 60 cm acima do topo do tubo-filtro. A medida inicial da colocação do pré-filtro não deve ser considerada, mas sim, a medida realizada após a realização do desenvolvimento preliminar (pistoneamento), pois ocorre um “assentamento” do pré-filtro durante a realização dessa atividade.
- o desenvolvimento preliminar é uma atividade que faz parte do processo de instalação do poço de monitoramento, sendo, portanto, obrigatória e essencial para a qualidade do mesmo.

Na 3ª parte da aula, os alunos retornaram para observar a Power Probe, agora realizando a amostragem de solo Piston Sampler. Essa metodologia consiste em cravar o amostrador fechado até a profundidade que se quer amostrar, abri-lo e somente então, cravá-lo para coletar a amostra. Esse é o único método que garante que a amostra que está sendo coletada é representativa da profundidade desejada, com um mínimo de interferência. Foi explicado aos alunos que é a única forma de se obter amostras de solos com pouca coesão, como solos arenosos, especialmente abaixo do nível de água, onde a pressão hidráulica que tende a carrear material para dentro do amostrador pela parte inferior. Nessas condições, a amostragem tradicional é impossível, e a amostragem Direct Push por dentro dos Trados Ocos também não funciona, pois entra material por baixo dos trados, da mesma forma que na amostragem Dual Tube, restando, como alternativa, somente o Piston Sampler.  O amostrador foi cravado fechado até 2,40 m, foi aberto (através da retirada da ponteira interna, sem a utilização de hastes finas de rosca esquerda) e a amostra foi coletada de 2,40 m a 3,60 m. A recuperação foi, novamente, de quase 100% devido aos core catchers. O liner foi aberto, havia muita água e o solo, predominantemente arenoso, foi descrito pelos alunos, que notaram a variação de granulometria no comprimento do liner, o que indica uma variação grande, em 1,20 m, da condutividade hidráulica nas diversas camadas, mesmo em uma areia "homogênea". O amostrador foi recolocado, cravado fechado até 6,0 m, para coletar a amostra de 6,0-7,20 m. Essa amostra também foi bem recuperada e observou-se um material argiloso, com muita variação de cor e textura, identificado como saprólito. Os alunos perceberam a utilidade das ferramentas demonstradas (Dual Tube e Piston Sampler), especialmente para coletar amostras de solo representativas abaixo do nível de água. Ao contrário do que se diz no mercado, é fundamental coletar amostras de solo saturado, pois é uma das poucas maneiras de se identificar as zonas preferenciais de fluxo e armazenamento, ou seja, é essencial para posicionar a seção filtrante dos poços de monitoramento, entre outras funções. 

A 4ª parte da aula consistiu em um ensaio RCPTu (piezocone de resistividade): realizado com o auxílio da ECD-TR-01 e com o equipamento sueco fabricado pela Geotech, o RCPTu consiste em obter, em tempo real e precisão de centímetros, dados de resistência de ponta, atrito lateral (esses dois sensores compõem o CPT), poro pressão (u) e condutividade (ou resistividade) elétrica do solo (R). Foi explicado para a turma que esse ensaio tem o objetivo de detectar as heterogeneidades hidrogeológicas em escala de centímetros, elaborar um perfil de condutividades hidráulicas detalhado, detectar zonas preferenciais de fluxo e armazenamento e determinar a hidroestratigrafia da área. Em linhas gerais, a resistência de ponta é maior quanto maior for a granulometria do material, o atrito lateral é maior quanto mais argiloso for o material, a poro pressão apresenta maior excesso quando a condutividade hidráulica é muito baixa e a condutividade elétrica é maior em solos argilosos. Na apresentação de setembro/2012, o sensor pegou uma camada de seixos a 5,38 m que impediu o avanço do ensaio, porém, desta vez, na mesma profundidade, foi detectada uma camada de maior resistência de ponta, aparentemente um cascalho, porém, o sensor passou por ela e obteve informação até 8,80 m, onde o atrito lateral e a resistência de ponta apresentaram valores muito elevados, que interromperam o ensaio, indicando ser um material predominantemente argiloso muito compactado, coerente com o saprólito que se espera encontrar nessa profundidade. Os alunos puderam ver a obtenção dos dados e uma interpretação inicial no próprio local, que permitiria uma tomada de decisão em campo, por exemplo, para determinar a camada de fluxo preferencial. Foi apresentado, também, o início de um ensaio de dissipação de poro pressão, que determinaria a condutividade hidráulica da camada hidrogeológica avaliada, porém, optou-se por abortar o ensaio para finalizar o ensaio principal no tempo da aula 

Em resumo, após cerca de 2 horas e meia de trabalho, foi mostrado aos alunos:
- Sonda importada de pequeno porte marca AMS, modelo Power Probe 9100-ATV, especializada em Direct Push, mas com possibilidade de realizar ensaios RCPTu e sondagens com Trado Oco (Hollow) e Trado Sólido (Solid Auger)
- Amostragem de solo contínua Direct Push com metodologia Dual Tube com core catchers nos liners
- Sonda nacional de médio porte, montada sobre Trator, modelo ECD-TR-01, versátil, capaz de realizar sondagens com Trado Oco (Hollow) até 20 metros, Trado Sólido até 30 metros, Direct Push “tradicional” e, principalmente, ensaios RCPTu
- Sondagem com Trado Oco Helicoidal (Hollow Stem Auger)
- Instalação de poço de monitoramento convencional, de 2’’, de acordo com a norma NBR 15.495-1
- Amostragem de solo com amostrador “de pistão” fechado (Piston Sampler), única metodologia que garante a representatividade da amostra, mesmo em solo saturado
- Ensaio RCPTu para determinar o perfil hidroestratigráfico em detalhe e detectar as zonas preferenciais de fluxo e armazenamento
- Ensaio de dissipação de poro pressão, que determina o valor da condutividade hidráulica naquela porção do aquífero

Power Probe da ECD posicionada com ferramental auxiliar

Turma observando a Power Probe da ECD realizar amostragem de solo Dual Tube

Power Probe AMS 9100-ATV da ECD

Vista geral do campo de provas do SENAC com os equipamentos da ECD

Sonda ECD-TR-01 realizando sondagem com Trados Ocos (Hollow Stem Auger)

Turma observando a instalação de um poço de monitoramento (NBR 15.495-1)

Turma do SENAC observando o ensaio de piezocone de resistividade (RCPTu)

Turma do SENAC observando a cravação do sensor RCPTu

Amostras de solo coletadas pela Power Probe da ECD pelo método Dual Tube (amostras à esquerda) e Piston Sampler (2 liners à direita)

Turma observando a coleta de amostra de solo Piston Sampler

Coordenador Rodrigo Cunha observando a equipe da ECD realizando amostragem de solo Direct Push pela metodologia Dual Tube



sexta-feira, 28 de junho de 2013

O Poço de monitoramento é a melhor maneira de caracterizar uma área?

O estudo de áreas contaminadas no Brasil tem alguns "dogmas" que precisam ser revistos.
Um deles diz respeito ao poço de monitoramento: há algum tempo ele é considerado não a melhor, mas a única forma de se caracterizar uma área. Os diagnósticos e Modelos Conceituais são elaborados quase sempre apoiados em dados que são obtidos durante a sondagem para a instalação do poço de monitoramento e, posteriormente, do próprio poço.
Um debate muito interessante está ocorrendo no Linkedin sobre isso. Para quem participa do Grupo "Groundwater Remediation Search and Destroy Methodologies", vale a pena ler na íntegra .http://www.linkedin.com/groupItem?view=&srchtype=discussedNews&gid=2621693&item=251986034&type=member&trk=eml-anet_dig-b_pd-ttl-cn&fromEmail=&ut=02QAL8Jojv_5M1 
Para quem não participa, transcrevo abaixo as participações que achei mais interessantes. Boa leitura: